Crash Corrigan, ou Frank Corrigan, nasceu em 14 de fevereiro de 1902 em uma pequena cidade do Texas, nos Estados Unidos. Desde muito jovem, estava envolvido no mundo do rodeio e da montaria de touros. Porém, sua vida mudou quando ele decidiu ir para a Califórnia para tentar a sorte no cinema.

Em 1925, Crash conseguiu um pequeno papel no filme “The Desert Rider”. A partir daí, sua carreira decolou e ele se tornou um dos maiores astros do cinema do oeste americano. Foi conhecido por seus papéis no estilo cowboy, sempre com um chapéu de feltro, roupas de couro e botas de cowboy. Ele também era um exímio cavaleiro e se destacou por suas cenas de ação em cima de seus cavalos.

Crash Corrigan trabalhou em mais de 100 filmes, muitos deles ao lado de outras lendas do cinema de Hollywood, como John Wayne e Roy Rogers. Também trabalhou como dublê, coordenador de dublês e produtor.

Mas sua fama não ficou restrita apenas ao universo cinematográfico. Ele também foi um grande ativista da causa animal e fundou a Corriganville Movie Ranch, um local em Simi Valley, na Califórnia, que abrigava animais salvos do cinema. Foi um grande defensor dos direitos dos animais e um dos primeiros a se importar com o bem-estar dos animais usados em filmes.

Crash Corrigan faleceu em 10 de agosto de 1976, aos 74 anos. Deixou um legado no cinema e na luta pela causa animal. Suas contribuições foram essenciais para a criação de leis e direitos para os animais usados no cinema.

A história de Crash Corrigan é marcante e inspiradora. Sua dedicação aos filmes e à proteção dos animais mostraram que é possível ter sucesso e ainda fazer a diferença no mundo. Ele deixou um legado que será seguido pelos fãs do cinema e pelos defensores dos animais por muitos anos.

Portanto, Crash Corrigan permanece como um ícone do cinema western, e um grande exemplo de luta pela defesa dos animais. Seus papéis icônicos e sua atuação em prol dos direitos animais permearão por novas gerações.